João de Santa Maria

No dia 25 de Abril e no dia 1 de Maio, a geringonça celebrou, ou permitiu celebrar, os dias da “liberdade” e do “trabalhador”. Porém, neste país já não existe liberdade. Foi possível comemorar essas datas com muita gente, e com pessoas na idade de maior perigo em relação ao vírus. Devido a isso, a ministra da Saúde não pôde proibir a celebração do 13 de Maio, graças a Deus, e deu liberdade ao Santuário de decidir se fariam as celebrações. Porém, o Santuário e o senhor Cardeal não quiseram celebrar o 13 de Maio com peregrinos devido à “prudência”.

Neste momento está programado: o encerramento do Santuário de Fátima nos dias doze e treze, a ida de aproximadamente 3 500 polícias e militares para cercar Fátima e o Santuário…

Por que não nos deixam entrar e rezar com a mesma “prudência” das celebrações parlamentares e sindicais acima referidas? Por que seria mais fácil o contágio do vírus em Fátima, em que o recinto é maior que a Alameda D. Afonso Henriques? Para as celebrações do 1º de Maio veio gente de todo o país… Não poderiam fazer um plano em que pudesse haver celebrações em Fátima com peregrinos, em que deixassem entrar as pessoas no Santuário de um modo organizado e pré-estabelecido? Ou acharão que o 1º de Maio é mais importante do que o treze?

Até dá a parecer que querem de uma vez por todas acabar com a religião Católica e a esperança das pessoas! Estão a tirar-nos as liberdades FUNDAMENTAIS! Nós temos o Direito e o DEVER de ir a Fátima celebrar o Aniversário da vinda da nossa Mãe Santíssima aqui a Portugal! Ela veio para estar connosco! E agora o povo português vai deixá-La de lado? Que desonra! Não têm vergonha disto os reverendíssimos bispos e os nossos governantes? E porque geram esta confusão da presença em Fátima de tanta polícia, tratando os cristãos peregrinos como gente perigosa, desordeira e imprudente?

Porquê o desbaratar dos peregrinos? Porquê criar esta violência e proibições? Até leva a parecer que pretendem terminar com a devoção das pessoas e com Fátima. Se não têm Fé ou se estão com medo, não vão, mas deixem ir aqueles que têm Fé e amor a Nossa Senhora. “O Meu Imaculado Coração será o teu refúgio e o caminho que te conduzirá a Deus.”

Reclama os teus direitos e liberdade! Vê os exemplos dos teus antepassados! Quão fortes, valorosos e destemidos eram os Lusitanos!

“As armas e os barões assinalados,
Que da ocidental praia Lusitana,
Por mares nunca de antes navegados,
Passaram ainda além da Taprobana,

Em perigos e guerras esforçados,
Mais do que prometia a força humana,
E entre gente remota edificaram
Novo Reino, que tanto sublimaram.”

E vemos o exemplo dos primeiros peregrinos de Fátima, que, no dia 13 de Outubro de 1917, sabendo que iria estar a polícia e por mais que fossem os obstáculos, foram a Fátima na mesma. Sê um verdadeiro português! Visita a tua Mãe e confia-Lhe o teu amor e os teus problemas!

Maria salvou a nossa Pátria de grandes males, e agora não deixam ir o povo português a Fátima, no aniversário histórico da primeira Aparição, a pedir ajuda para esta pandemia a Maria? Nossa Senhora, em 13 de Maio de 1917, na Cova da Iria, não pediu aos Pastorinhos para irem àquele lugar sempre no dia 13 até Outubro? E o povo português tem-no feito sem cessar desde então, nos dias 13 de Maio e de Outubro, sem ficar defraudado nos milagres que recebeu.

Não será melhor ter a prudência de não perder a seriedade e de não privar o povo português de ir ter com a sua amada Mãe? Sejamos fiéis à Fé que ditou estas estrofes de cânticos tão tradicionais da nossa terra:

“Ó glória da nossa terra,
Que tens salvado mil vezes!
Enquanto houver Portugueses,
Tu serás o seu amor!

Portugal, qual outra Fénix,
À vida torne outra vez:
Não se chame português
Quem cristão de fé não for.”

“Aqui vimos, Mãe querida,
Consagrar-te o nosso amor.
Aqui vimos, Mãe querida,
Consagrar-te o nosso amor.”

“Eia avante, Portugueses!
Eia avante, não temer!
Pela santa Liberdade,
Triunfar ou perecer.

Segue, ó Povo, o belo exemplo
De tamanha heroicidade:
Nunca mais deixes tiranos
Ameaçar a Liberdade.

Fugi, déspotas! Fugi,
Vis algozes da Nação!
Livre, a Pátria vos repulsa,
Terminou a escravidão!”

Senhores bispos e senhores governantes, as atitudes de alguns de vós levam-nos a temer que se estejam para cumprir em breve as palavras da Sagrada Escritura: “Quando vier o Filho do Homem, encontrará Fé sobre a Terra?”.

ACORDA PORTUGAL!!! Saibamos distinguir o que é Sobrenatural do que é apenas natural. Demos a Deus o que é de Deus e a César o que é de César! Porque ir a Fátima não é como ir a um campo de futebol… Citando de novo:

 

“Acode-nos, Mãe piedosa,
Nestes dias desgraçados,
Em que vivemos lançados
No pranto, no dissabor.”

“Achou logo a Pátria
Remédio ao seu mal;
E a Virgem bendita
Salvou Portugal.”