No final de 2020, a dívida pública situou-se em 270,4 mil milhões de euros, aumentando 20,4 mil milhões de euros em relação ao final de 2019″, refere o Banco de Portugal.

Para este acréscimo contribuiu o aumento dos títulos de dívida (17,6 mil milhões de euros), dos empréstimos (1,7 mil milhões) e das responsabilidades em depósitos (1,1 mil milhões de euros), por via, principalmente, das emissões de certificados do Tesouro.

Os depósitos das administrações públicas ascenderam a 23,9 mil milhões de euros no final de 2020, aumentando 9,4 mil milhões de euros em 2020. A dívida pública líquida de depósitos subiu 11,0 mil milhões de euros em relação ao ano anterior, totalizando 246,5 mil milhões de euros.

A dívida pública atingiu os 130% do produto interno bruto (PIB) no final do terceiro trimestre, valor que compara com os 126,1% do PIB até junho.

O rácio da dívida pública portuguesa face ao PIB deverá subir este ano para os 137,2%, segundo as previsões divulgadas pelo Fundo Monetário Internacional, que são piores do que as do governo para 2020, que apontam para que a dívida pública se cifre em 134,8% do PIB este ano.