Duas pessoas morreram e outras três ficaram feridas no ataque terrorista perpetrado por um imigrante islâmico de Caxemira no centro da capital britânica, no fim de Novembro, a menos de duas semanas das eleições.

O atacante islâmico, que usava um colete de explosivos falsos e esfaqueou várias pessoas com duas facas antes de ser abatido, na zona da Ponte de Londres, era um terrorista islâmico condenado.

Usman Khan, de 28 anos, tinha sido libertado recentemente e usava pulseira electrónica. Foi acusado em 2010 e condenado em Fevereiro de 2012 por crimes de terrorismo.

Segundo informações da imprensa inglesa, o terrorista islâmico e um outro grupo planeavam bombardear a Bolsa de Londres e atacar outros locais, incluindo as Casas do parlamento e a Embaixada dos EUA.

Khan queria construir um campo de treino terrorista nas terras da família, em Caxemira, zona controlada pelo Paquistão.