O Tribunal Regional Federal da 4ª Região recusou anular o julgamento e confirmou a condenação do socialista Lula da Silva — antigo presidente do Brasil — no caso relacionado com a posse de uma casa de campo em Atibaia e as obras que ali se realizaram.

Os juízes da 8ª Secção do TRF4 consideraram o criminoso Lula da Silva culpado dos crimes de corrupção e branqueamento de capitais, num processo sobre obras na casa de campo em Atibaia que foram realizadas pelas construtoras Odebrecht e OAS como pagamento de subornos.

O tribunal decidiu ainda aumentar a pena do criminoso Lula da Silva, que era de 12 anos e onze meses, para 17 anos, um mês e dez dias de prisão.

As obras foram pagas pelas empresas Odebrecht e OAS em troca de Lula da Silva usar a sua influência para manter funcionários corruptos em cargos importantes da Petrobras.

Os investigadores do Ministério Público Federal também acusaram Lula da Silva de ser o proprietário de facto da quinta, registada no nome do empresário Fernando Bittar, amigo do antigo presidente.